Uma vida dura demais para um aluno e uma oportunidade que mudou o seu futuro.
Mais uma História que aconteceu mesmo, que ilustra o contexto exigente de muitos alunos, que pensam que não têm outra hipótese senão abandonar a escola. Mas quando há alguém que acredita em nós… tudo pode acontecer!
Pela voz da Maria Azevedo, Diretora de Formação da Teach For Portugal.

 

Autor: Luís Vasconcelos

“Professor, para quê? Eu não quero estudar!”, esta frase foi uma das primeiras conversas que tive com um aluno que ia fazer 18 anos.

A escola tinha abandonado o aluno e este preparava-se para abandonar a escola. Na sua perspetiva, o que ali fazia era uma perda de tempo. O ordenado que o aluno ganhava a trabalhar num bar de uma associação desportiva compunha o orçamento familiar.

A escola era um entrave no seu objetivo: garantir que a sua família não sofresse de nenhuma necessidade. Afinal o aluno já tinha estado em algumas escolas e foi rejeitado pelas mesmas. Esta era o fim da linha.

O tempo foi passando e o aluno cada vez mais se envolvia nas atividades da escola, ensinava os mais pequenos, apoiava na organização das festas. Aos poucos, a conversa do aluno mudou “Stor tenho mesmo de mostrar a estes “putos” que têm de tirar boas notas para serem alguém”.

Ao servir como modelo, ele foi-se modelando. O que ele sabia era de tal valor que poderia ser transmitido aos alunos mais novos.

O objetivo foi subindo: primeiro, chegar ao fim do ano e passar. Depois, não tirar nenhuma negativa.

Há poucos dias atrás recebi a chamada que me encheu de orgulho:

– “Stor entrei na escola agrícola, vai ser mesmo fixe!”