É o único agrupamento do concelho distinguido pelas boas-práticas na prevenção e resolução de problemáticas relacionadas ao bullying, cyberbullying e outras formas de violência.

O Agrupamento de Escolas de Celeirós foi galardoado esta semana com o selo ‘Escolas Sem Bullying, Escola sem Violência’, sendo o único do concelho a ser distinguido pelas suas boas-práticas numa área que tem merecido especial atenção por parte da comunidade escolar e civil.
Ao CM, Manuela Ribeiro, coordenadora do projecto, referiu que esta distinção premeia um trabalho que este agrupamento de escolas tem promovido há já vários anos, apesar da tutela ter imposto há apenas dois anos a concepção de um projecto que indique o conjunto de práticas que as escolas estão a colocar em prática.

“Tínhamos já projectos implementandos que, entre outros objectivos, pretendiam prevenir a violência”, adiantou Manuela Ribeiro, dando como exemplo a a criação de um Gabinete de Mediação e Gestão de Conflitos Escolares, que é uma das faces mais visíveis do plano que a escola tem em desenvolvimento para a prevenção e combate ao bullying, ciberbullying e outros formas de violência que contou com o trabalho de parceria de uma estagiária da UMinho a desenvolver mestrado na área da Mediação. “Além da prevenção pretende resolver problemas de conflito interpessoais e de relacionamento”, diz a docente, sublinhando que antes da formalização do programa o gabinete está se encontrava a funcionar.

Manuela Ribeiro explica que antes de delinear estratégias, foi feito um levantamento de dados referente a possíveis casos de bullying/ciberbulliyng. “Fizemos um levantamento exaustivo e estratégico pela população escolar, desde o 1.º ciclo até ao 9.º ano, e os casos que surgiram de situações comportamentais não eram casos graves”, confirma a docente, acrescentando que caso fossem detectados, “o gabinete estava activo para a sua resolução”.

Porque a prevenção é essencial também nesta questão, o agrupamento tem em marcha uma conjunto de dinâmicas de prevenção, algumas resultantes de par- cerias. É disso exemplo a adesão ao projecto ‘Teach for Portugal’ que permite a mobilização de dinâmicas de prevenção de bem-estar e de sucesso, nomeadamente através do desenvolvi- mento da actividade ‘Intervalos Activos’, com o objectivo de envolver os alunos em actividades lúdicas de ocupação dos tempos livres, no espaço exterior com dinâmicas activas.

A tutoria tem também o seu trabalho direccionado para o acompanhamento de jovens em risco de abondono e com dificuldades de integração, muitas vezes num trabalho de estreita proximidade e relação com os alu- nos em risco, com comportamentos desviantes.

No âmbito do plano delineado em 2019 foram ainda criadas os projectos de Promoção da Educação para a Saúde, que pretende aumentar a literacia em saúde; o projecto +Contigo, que pretende promover a saúde mental e o bem-estar dos alunos do 3.º ciclo;?o projecto ‘Saber Crescer’ que desenvolve competências comportamentais de concentração, estabilização emo- cional e atenção adequadas à melhoria de aprendizagens; o projecto ETAE que contribui para a melhoria do sucesso educativo dos alunos e o Mindfulness/MoviMente, que ajuda os alunos a saber lidar com a doença, a ansiedade e a irritabilidade.

“O plano veio demonstrar que não temos esta problemática na nossa escola porque também actuamos muito ao nível da prevenção”, refere Manuela Ribeiro, frisando que esta distinção é “um sinal de que levamos as coisas a sério, unindo esforços, aproveitando projectos que estão já instalados há muito tempo para trabalhar esta área”.

Notícia publicada a 27 de outubro 2020 em Correio do Minho

Autora: Paula Maia